domingo, 24 de agosto de 2008

Outros sentidos



Abro os olhos,
o verde está tão verde quanto o roxo sempre foi pra mim.O pulso pulsa sem parar numa frequencia outra enquanto meu corpo esquenta. Dilatei tudo que sentia , e tudo está tão mais vivo. Estou te olhando por dentro , dentro de mim. Você em mim . E olho assim , com o sorriso do cheiro da sua respiração. Dancei aquilo que chamam de dança do amor, e você foi meu par. Gosto de agosto. Ponto.
As cores estão vivas. Atravessando a rua ouço a carro da outra esquina buzinar. Buzinas destroem a paz da cidade. Falha. A quantidade de desordem vem de outras coisas , não teria sentido. Esqueci o protetor solar, os óculos , e um casaco para mais tarde. Não importa, pretendo não parar , não ser tarde. Vou entardecendo e amanhcendo dentro de mim , dentra as coisas que escolho está sua mão.E o tempo vai ficando cedo , cheio de sede de recomeçar.
Ponto , palpebrás abrem e fecham para achar novos sentidos no velho dia seguinte.

Reticências para continuar.

2 comentários:

giuliana disse...

Gosto das cores vivas!!!Vejo assim tbm!! ahahahahah
bjossssss adoro!

Espaço Feliz disse...

Continuar!!!Recomeçar!!!
Verbos d um mundo d reticências.
Td desordem vem do q tds deixam parecer fazer sentido.
Acredito q a dor é uma desordem...tão constante...
e o amor é uma ordem tão distante.
Por isso não podemos vacilar qdo temos.
Não gosto d verde tão verde...gosto d verde-escuro e d verde-claro, e dakele verde, q sempre lembro da água...
d uma água azul...
Não gosto d ser, mas gosto d estar
e d estar com gosto...principalmente...sem ponto
Pálpebrás velhas reflete os dias
sempre igual...e td fika velho
e chato
sem romance
mto certo
e, às vezes, no amor não cabe certezas...
cabe escolhas
cabe medos
cabe utopias
...
amizade
e felicidade.

Viajo d+ em suas palavras
bom te ver d volta.
Bjs
menina
d estradas encantadas
d um mundo sem pó.