quarta-feira, 28 de março de 2012

Da necessidade de ser sincero.

É preciso ser pulsão. potente. permanente. porém sem fincar-se em um só ponto. É preciso redescobrir as palavras e achismos a cada segundo. mas saber ser. com verdade. ser inteiro. com convicção daquilo que não sou. mas poderei ser outro que não aquilo que eu mesmo sei ser. que bom. estamos nos dando tempo de refazer toda essa bagunça criada desde os inícios de nós mesmos. é assim que se constrói casa. país. democracia de nós mesmos. só para saber compartilhar as coisas belas e sinceras. E belo não é aquilo que me mostraram ser harmônico. A beleza está nas confusões de todos os traços, nas existências sinceras, movedoras e comoventes. Aquilo que te transborda e te faz desiquilíbrio. Isso é beleza. 
Difícil não falar do que no peito se faz pulsação. deixar agir em nós. Não. Não nos conformemos com o que nos disseram. eles podem ter inventado toda uma ficção. A verdade é que a verdade é relativa. e outras tantas coisas também ... Mas ...... deixemos que nossas mãos se encontrem no tempo que elas determinarem .

Um comentário:

Larissa disse...

Acho que por aí. Verdade relativa, beleza também. Depende do nosso ponto de vista, da nossa história, de quem somos.