quinta-feira, 19 de junho de 2008

Por nós

Somos aquilo que somos e sentimos e a cada dia a felicidade aumenta. Mas , sem mais nem menos , tem-se que deixar de ser, e fingir não ter afeto por quem se ama , não tocar , não olhar , não trocar , mal falar ... E assim, misturados entre desejos e limites é que ficamos. Porque se à noite, em nosso esconderijo, somos nós e ninguém mais e, assim, somos plenos com a felicidade tomando nossos corpos à cada respiração , de dia somos o contrario , vigiados, presos nos desejos internos , sem poder dizer por inteiro como se ama. Somos beijos através das mãos , abraços pelos olhares , sorrisos sorrindo palavras de amor. Então, nesse momento, falta coragem pra gritar o que se sente , e resta medo da dor do depois. Falta um pouco de compreensão do mundo , por nós e dele sobre nós. O que falta é eu poder acordar todo dia do seu lado , sem ter que ir embora correndo; falta tempo pra ficar abrançando-te toda vez que penso em você em distância; falta parar de sentir a sua falta e ficar mais presente ; Enfim , para nós , nada falta , há em excesso amor , carinho , compreensão , cuidado ... Quem sente falta é o mundo que se esquece o que significa o amor e se prende em questões do parecer , quando se deveria só ser para ser feliz. É... Tem se muito o que aprender. Enquanto isso , te amo, o que já me é necessário.

Dominque Arantes

2 comentários:

Diogo Nery disse...

O amor... Ah amor! E a dor... Ah e a dor! Porém amor sem dor, não é amor... Então um "Viva" a dor do amor!

Bjãooooo...rs

Tweentysomething disse...

Adorooooo sem por nem tirar nenhuma virgula. =)