quinta-feira, 25 de junho de 2009

Atos ... ( modificado)

"No ato primeiro
Eu ando e canto
Coloco-me na sua frente
Desconfigurada ,
revirada , invertida

Meu segundo ato
É me doar ,
Dar meu corpo
Pra você sair do seu lugar

E esse limite entre nos
É quebrado por que
Quem atua , quem responde ,
Também é você.

Terceiro.
Respiro , calo
E de repente falo de mim.
Para todos ouvirem.
Meu ato autobiográfico .

No quarto (ato),
Me tranco no quarto ( paredes),
E só quero te ver outra.
Outra, muda a roupa.

E surge mais um,
E o Ato se transforma ,
Agora sorridente , gozando do excesso,
Meu quinto (ato)
Se desmembra por todos os meios.


Eu preciso lembrar do primeiro."

Dominique Arantes

2 comentários:

d.liberano disse...

caramba,

q isso, hein?

precisei voltar ao primeiro. não são atos fáceis. custam a pele.

a pele.

há pele.

Espaço Feliz disse...

Os limites estão no tênue jogo de respiração e do olhar.
Mudanças em ações.
Tudo é uma loucura...e custa muito caro: ou entrega ou fuga.
Pele deflorada pelos atos, biografias descompassadas na fala.
Lindo!!!Adorei menina!!!